A vida partiu meu coração

Meu coração dói

Meu coração dói há muito tempo

E está cansado de em nada encontrar alento

.

Meu corpo já pútrido se arrasta

A vida parece uma rua sem saída

Tomada por uma névoa nefasta

.

Nada tem gosto

Por horas me fito no espelho

Eu não reconheço mais meu rosto

.

Minha infância foi solidão

Minha adolescência, perdição

E agora tudo que faço parece ser em vão

.

Recordar é sofrer

Viver é não saber

Não adianta mais beber

.

Estou num limbo

Não consigo me levantar

Deixo meu corpo um líquido virar

E se esparramar

.

Até quando vão me aprisionar

Nesse mar

Que sempre está a me sufocar

Ou a, num repente, me abandonar?

Anúncios

23 de julho

Me toque

Eu quero que você me toque

Me provoque

A sentir algo além de nada

Eu quero uma euforia esparramada

Eu quero uma tristeza programada

Uma melancolia afiada

Tudo

Menos nada

.

Tocar

Eu quero conseguir tocar

Pegar na tua pele e conseguir mensurar

A textura

Nua e crua

Abraçar tua vileza e despir tua ternura

.

Eu quero te tocar

E me colocar

No teu lugar

Eu quero conseguir

Tua alma entender

Fazer a minha perecer

.

Eu não consigo sentir

Chego perto de ti

E é sempre uma linha tênue entre estar e não existir

.

Eu quero que meus átomos

Cheguem perto dos seus átomos

Sem se repelir

E finalmente

Conseguir sucumbir.

Tua Caixinha

hoje eu acordei lembrando de você

meu coração fez todo um auê

e eu nem sei pra quê

fiz o velho percurso da saudade

lembrando das tuas músicas, perfume, tua idade

pra no fim só chorar baixo

eu te procuro e te acho

mas dou as costas, diacho

não posso mais te ver

não quero mais te ver

e ainda sim

parte de mim

grita, pula, se alvoroça

quer.

Decepção

Meus pais me queriam

Num modelo que moldaram pra mim antes mesmo de eu nascer

Sem me dar liberdade para crescer

 

Me queriam capitalista

Sou anarquista

Me queriam heterossexual

Sou homossexual

 

Me queriam uma heroína

Eu usei a heroína

E cocaína

E codeína

 

Me administravam uma dose

Tive overdose

 

Meus pais me queriam uma premiação

E não sabem lidar com o fato

De que eu sou uma decepção.

Não seja aquelas que parecem homem

Quando meu pai descobriu que eu gostava de garotas

Me disse que eu deveria ser grata

Por ele não me expulsar de casa

E eu só consegui derramar lágrimas

Porque ele não fazia ideia

Que aquele lugar

Há muito já não era minha casa

 

Dias depois, ele me disse

Que já que eu me envolveria com mulher

Que fosse uma culta

Que parecesse mulher

Ah, mal sabia ele

Que eu mesma não seria essa mulher

De seu imaginário conservador

 

Parece que só por ser lésbica

Preciso de uma ter uma extraordinária estética

Para ser legítima enquanto ser humano

 

Ele nunca quis enxergar o quanto

Sua filha é, em seu plano

Um ser profano.

Sentir-se mulher

Me dizem o que é ser mulher

Que é passar batom

O que sou então

Se não gosto de batom, em nenhum tom?

 

Me dizem que ser mulher é falar manso

O que fazer

Se minha voz é estridente como a de um ganso?

 

Me dizem que ser mulher é ser fraca

Me recuso

A não carregar comigo uma faca

 

Sou mulher, sim

Porque sempre me empurraram pra um homem

Porque nunca pude bradar meu nome

 

Sou mulher porque sofro

E tenho medo e sempre corro

Sou mulher porque preciso andar com um canivete

Caso alguém me decepe

 

E o pior é que quando se é mulher

Não há escolha

Mesmo que você se envolva numa bolha

Eles vão te decepar

Dia após dia irão te esfaquear

 

Isso é ser mulher

Não é glorioso

Não é fantasioso

É temeroso

É desastroso

É vigilância constante

É ser sempre esquecida na estante.