Sol em câncer

Eu era jovem o bastante
Eu ainda acreditava no amor
Mas eu era só mais um poema na sua estante
Nunca pensei que fosse conhecer essa dor

Você fez cada minuto parecer um calvário
Meus pés ficaram calejados
Você não apareceu no meu aniversário
Por dentro meus versos ficaram calados

Você me batia e eu fingia que gostava
Todos os seus caprichos eu aceitava
Minhas mãos você atava
E eu chorava

Choro hoje
Ao percerber que você me deixou vazia
Eu não sabia
O quanto eu sofria
Nos seus braços torturados

Não precisamos de você

Não preciso de você

No meu sexo

Não preciso de você

Sob o meu teto

 

 

Impossível te amar

Horrível te beijar

Homem, você não sabe nem chupar

 

Não preciso de você pra me defender

Quem é um homem pra me ofender?

Você precisa de propaganda

Pra lavar seu próprio pinto

Você não é o primeiro, é o quinto

A dar em cima de mim e da minha namorada

Não vai conseguir nada

 

Não precisamos de você

Entre a gente

O orgasmo entre duas

É mais fluente

 

Homem, você não serve pra nada

No meu mundo

Se reeduque

Livre-se do seu poder imundo.

Onde as mulheres não têm vez

Eu cansei de ser

Um bibelô pra você

Eu cansei de ter

Minha vida à sua mercê

 

Eu cansei de ter

Medo na rua

Eu cansei de saber

Que sou imaginada nua

 

Eu cansei de ser a esquisita

A desencontrada

Porque amo Ada

E Camila

E Rafaella

 

Eu recuso não poder gritar

Buceta

Eu recuso não poder amar

Meu corpo, cada faceta

 

Eu cansei de ser morta

Todo dia

Por te dizer não

Eu cansei de ter

A sua falsa compaixão

 

Homem, eu vou lutar de volta

Cuidado porque

Eu luto como uma garota

Dentro de mim há uma revolta

 

Homem, eu não sou responsável pela sua educação

Você é responsável

Pela vida de todas as mulheres sob sua opressão.

Vida bancária

Que mundo é esse

Onde o tédio é o sentimento predominante?

Que mundo é esse

Onde o amor é um sentimento errante?

 

Que mundo é esse

Onde o seco e o vazio são palavras de ordem?

Que mundo é esse?

Minha esperança e desejos sufocados morrem

 

Que mundo é esse

Transformado num banco?

Que mundo é esse

Meu aniversário passou em branco

 

Que mundo é esse

Onde a empatia é desnecessária

E a vida parece

Uma constante cesária.

 

Sororidade

Mundo corporativo

Meu DDA não aguenta

Mundo por demais ativo

Minha depressão nem tenta

 

Mundo regrado

De normas que ninguém precisa

Mundo ingrato

Minha anarquia a revolução incita

 

 

Mundo de cronograma

De minutos inventados

O amor não chega a um grama

Nos meus braços atados

 

Mundo dos homens

Onde as mulheres não têm vez

A igualdade tão utópica

Morre na escassez

 

Morremos nós, violentadas

Esquartejadas

Estupradas

Morremos nós

Em tenra idade

Só resta a nós

Sororidade.

Camila, Camila

Camila, Camila

Seus olhos disparam meus instintos ferozes

Camila, Camila

Sua indecisão me deixa egoísta, ideias atrozes

Camila, Camila

Sua mão na minha me acalma

Camila, Camila

Escrever sobre você me dói na alma

 

Camila, Camila

Pensando em você quando deveria pensar nos estudos

Camila, Camila

A menina que deixa meus versos mudos

 

Camila, Camila

Você me faz esperar cada minuto

Pensando que o próximo pode ser passado com você

Camila, Camila

Meu humor à sua mercê.