Tempos

Cada minuto é um punhado de terra

Passei os dias do meu verão enterrando você

Segunda eu me espreguiço

Terça penso que não pode ser assim tão ruim

Quarta desanimo

Quinta desabo

Sexta quero morrer

 

E você aqui me fazendo uma massagem no pé

Não mudaria nada disso, saiba

Já que é pra ser sincera

Estou quase convencida

Da minha preguiça de sentir alguma coisa

 

Olhos fechados

E os dias vão passando

Objetivos acabando

Razões sufocando

Você amando

Eu espirrando

 

A vida voltou a ser

O túmulo blasé

Que sempre foi.